Caravana ILPF difunde os sistemas integrados em São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul.

Caravana ILPF difunde os sistemas integrados em São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul.

A Caravana ILPF, etapa Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul percorreu sete cidades, entre os dias 8 e 12 de agosto, promovendo atividades abertas ao público e para grupos específicos sobre sistemas de Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF).

A abertura oficial da Caravana ILPF foi em Maringá (PR), na sede da Cocamar, com representantes das Associadas da Rede ILPF e teve os sistemas de integração no noroeste paranaense, como foco do debate.

“Entre os objetivos da Caravana temos o de ampliar a área de ILPF no país e levantar diagnósticos regionais, por isso ações como essas são tão relevantes para coleta de dados, com eles entendemos os desafios e aptidões de cada região, além da troca de experiência que momentos como esses proporcionam”, afirmou Renato Watanabe, Presidente do Conselho Gestor da Rede ILPF e gerente Executivo da Cocamar.

Na terça-feira (9) a equipe composta por pesquisadores da Embrapa e técnicos da Rede ILPF e Associadas, desembarcou em Jardim Olinda (PR), para o dia de campo na Fazenda Flor Roxa. O evento foi aberto ao público e teve mais de 80 participantes entre técnicos, produtores rurais e empresas do setor agropecuário.

O pesquisador Alvadi Antônio Balbinot Junior, da Embrapa Soja, ministrou a palestra sobre Qualidade do solo em Sistema Integração Lavoura-Pecuária no arenito Caiuá e na sequência a família Vellini, proprietária da fazenda Flor Roxa falou sobre o caso de sucesso com ILPF. César Vellini produtor rural implantou o sistema em 2006 e disse que de lá para cá só colhe benefícios, a esposa dele, Márcia Vellini afirmou que a ILPF literalmente foi a salvação da lavoura.

A noite também teve ILPF como protagonista no 4 Encontro de ILPF realizado pela SOESP, em Presidente Prudente (SP). Itamar Junior, diretor comercial da empresa abriu a noite falando sobre o potencial e os avanços do estado na agropecuária. Na ocasião, também houve a assinatura do termo de intenção sobre a parceria da Rede ILPF e o governo de São Paulo, para um projeto futuro de sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta no Estado.

“Nosso trabalho é o de difundir os sistemas nas diversas regiões produtoras do país, prospectar novos parceiros e apoiadores para promovermos cada vez mais uma agropecuária sustentável no Brasil”, afirmou Isabel Ferreira, Diretora Executiva da Rede ILPF.

O pesquisador da Embrapa, José Pezzopane, da Embrapa Pecuária Sudeste, falou sobre as potencialidades da ILPF para o oeste paulista e o supervisor da Fazenda Campina, Juliano Roberto da Silva, mostrou os benefícios da ILPF na fazenda que ele administra.

A quarta-feira (10) foi em Santa Rita do Rio Pardo (MS) na Fazenda Santa Vergínia, uma fazenda de gado de corte, de 30 mil hectares de área e com um modelo consolidado de IPF.

No mesmo dia, em Nova Andradina (MS) os palestrantes Júlio César Salton, da Embrapa Agropecuária Oeste apresentou o tema Integração Lavoura-pecuária em solos arenosos – Sistema São Mateus e a professora Rienne Queiroz (IFMS), falou sobre Sistema integração lavoura-pecuária-floresta: desafios para o MS.

Na quinta-feira (11) as atividades começaram em Dourados (MS), com a oficina Adopt para um grupo de técnicos. Além de entenderem sobre a ferramenta de diagnóstico agropecuário, os participantes também visitaram a fazenda experimental da Empraba Agropecuária Oeste, a ação foi conduzida pelo pesquisador Julio Salton.

Durante a noite foi a vez do painel de debates sobre ILPF e o mercado de carbono, na sede do sindicato rural de Campo Grande (MS). O evento foi híbrido: presencial e com transmissão ao vivo.

Rogério Beretta – Superintendente de Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar de Campo Grande MS; Roberto Giolo de Almeida – Pesquisador da Embrapa Gado de Corte; Miguel Tadeu Goncalves Cadini – Gerente de Negócios Florestais da empresa Suzano Papel e Celulose; Renato Rodrigues – Diretor para América Latina da empresa Regrow e André Dobashi – presidente da Aprosoja/MS, participaram do painel.

Oficinas Adopt, Agrotag, GeoABC

Foram três oficinas das ferramentas de diagnóstico agropecuário, oferecidas para técnicos da área com o objetivo de facilitar a identificação de necessidades de melhoria no campo, coletar dados e oferecer suporte para a adoção dos sistemas de integração. Os pesquisadores da Embrapa Inácio de Barros, Marcelo Muller, Ladislau Skorupa e Patrick Kuchler, coordenaram os trabalhos.

Caravana ILPF

A Caravana ILPF é uma realização da Rede ILPF é uma parceria público privada formada pelas empresas Bradesco, Cocamar, Embrapa, John Deere, Soesp, Syngenta, com o objetivo de difundir e ampliar a área ILPF no Brasil, além de realizar diagnósticos regionais sobre os sistemas de Integração nas diversas regiões produtoras do país.

A expedição técnica e científica (Caravana ILPF), composta por pesquisadores da Embrapa e técnicos de diversas empresas ligadas ao Agronegócio, irá percorrer mais de 10 estados brasileiros, até 2023.

A passagem da Caravana ILPF pelos estados prevê: Dias de campo, palestras, visitas institucionais e técnicas a produtores rurais, cooperativas, universidades, centros de pesquisa e diversos segmentos do agronegócio, públicos e privados.

Etapa Piloto

A primeira etapa da Caravana ILPF, considerada piloto, aconteceu entre os dias 4 e 8 de abril e percorreu seis cidades: Linhares (ES), Pedro Canário (ES), Nova Venécia (ES), Teixeira de Freitas (BA), Itabela (BA) e Eunápolis (BA), entre o norte do Espírito Santo e Sul da Bahia.

Entre as atividades desenvolvidas foram dois dias de campo, três mesas redondas e diversas visitas técnicas e institucionais.

Próxima Etapa

A próxima etapa está prevista para novembro na região nordeste.

ILPF no Brasil

A ILPF é uma tecnologia de produção agropecuária com grande potencial de mitigação de emissões de gases de efeito estufa e sequestro de carbono pelo solo e biomassa, além de uma série de outros benefícios socioambientais e econômicos

Metas

Segundo estimativas da Rede ILPF para a safra 2020/2021, a área ocupada com os sistemas ILPF no Brasil corresponde a 17,4 milhões de hectares. A Rede ILPF tem o propósito de ampliar essa área para 35 milhões de hectares até 2030.