Contextos práticos e econômicos da Integração Lavoura Pecuária (ILP): Saiba como o uso da tecnologia pode ajudar no monitoramento rural para diversas finalidades.

Participe dos eventos do SustentAgro e contribua para a sustentabilidade Agropecuária.

O projeto SustentAgro executado pela Rede ILPF e financiado com recurso do Land Inno-vation Fund (LIF), atua no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás para levar sustentabilidade para a cadeia produtiva da soja por meio dos Sistemas de Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF).

Nos próximos 14 meses do Projeto, serão diversas ações para levar informação aos produtores rurais e profissionais do segmento com o objetivo de difundir a ILPF em diversos contextos, com foco em sustentabilidade e produtividade.

Como parte destas atividades está a Roda de Conversa e o Lançamento do aplicativo ILPF digital no próximo dia 11 de abril em Campo Grande MS.

Veja os detalhes do evento:

Roda de Conversa: “Integração Lavoura-Pecuária como uma alternativa sustentável”.

o Dr. Rodrigo Amorim Barbosa – Pesquisador da Embrapa Gado de Corte – Atua na área de avaliação de novos materiais forrageiros para melhoramento genético de gramíneas tropicais e na área de manejo de pastagens como foco em estratégias para aumentar a produtividade e a sustentabilidade dos sistemas de produção ani-mal em pasto.

o Dra. Mariana de Aragão Pereira – Pesquisadora da Embrapa Gado de Corte. Atua na área de Economia e Administração Rural, com ênfase em sistemas de produção e custos em pecuária de corte, sistemas integrados lavoura-pecuária-floresta

(SLFS), tomada de decisões, adoção e impacto de tecnologias e gestão agrícola, incluindo o desenvolvimento de ferramentas gerenciais.

o Dr. Edson Luis Bolfe – Pesquisador Embrapa Agricultura Digital. Atua em projetos de pesquisa envolvendo temas como a dinâmica de uso e cobertura das terras, senso-riamento remoto, mapeamento e monitoramento agrícola e ambiental.

o Dra. Margareth Simões – Pesquisadora da Embrapa Solos. Grande experiência em Geoinformática com ênfase em Sensoriamento Remoto, Análise Espacial, Ciência de Dados, Business Intelligence aplicado à agricultura digital, monitoramento/plane-jamento ambiental, Mudança de Uso da Terra (LUC) e Modelagem de Uso da Terra (LUM).

Lançamento do aplicativo ILPFdigital.

App ILPFdigital: Integrante da plataforma ILPFdigital o app é gratuito e foi concebido para mapear a adoção de sistemas ILPF nas mais diversas regiões produtoras do Brasil. Este App foi desenvolvido em parceria entre a Câmara de Agricultura Digital da Rede ILPF, Pro-jeto SustentAgro e GeoABC+ (Embrapa Solos). O público-alvo do app é formado de produ-tores, técnicos de agências de extensão rural, parceiros e profissionais das empresas As-sociadas da Rede ILPF.

A partir dos dados inseridos, os usuários do app podem otimizar a gestão da informação da produção por talhão, bem como contribuir para o mapeamento do avanço dos sistemas ILPF no país.

Os dados de campo coletados pelo aplicativo são imprescindíveis para o treinamento dos algoritmos de aprendizado de máquina da metodologia do GeoABC+.

Portal-web: Os dados agregados e anonimizados poderão ser disponibilizados no Portal-web, que estará dentro do site da Rede ILPF (em uma aba específica). Os gráficos, estatís-ticas e mapas contidos neste website poderá ser acessado pelos diversos setores da soci-edade civil organizada, produtores rurais, academia e pesquisa, imprensa, membros da Rede ILPF. Vai ser muito útil também para políticas públicas de Agricultura de Baixa Emis-são de Carbono (ABC) estaduais e federais, visto que será possível encontrar tendências das modalidades mais usadas, e o crescimento ou retração dos sistemas em determinada região/estado. Vale reforçar que os dados fornecidos por um produtor individualmente não poderão ser vistos pelo site, pois as informações do site estarão anonimizadas e agrega-das por município/estado, apresentadas por meio de mapas, gráficos e estatísticas.

Sobre ILPF

A ILPF é uma tecnologia de produção agropecuária com grande potencial de mitigação de emissões de gases de efeito estufa e sequestro de carbono pelo solo e biomassa, diversifi-cação de cultura e aumento da produtividade. A implementação dos sistemas ILPF varia de acordo com as características de cada região.

Atualmente o Brasil tem 17,4 milhões de hectares com algum tipo de integração de ILPF. Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul, lideram a lista dos Estados com maior área de sistemas integrados. Veja aqui

Metas

A Rede ILPF tem o propósito de ampliar essa área para 35 milhões de hectares até 2030, além de diversificar os sistemas de produção e aumentar a representatividade do compo-nente florestal nesses sistemas.

Dessa forma, a ILPF irá contribuir para o alcance das metas apresentadas pelo Brasil em sua Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) ao Acordo de Paris durante a COP21 e reforçadas pelo Programa ABC+ do MAPA e os compromissos assumidos na COP.

Sobre a Rede ILPF

A Associação Rede ILPF é uma parceria público privada formada e cofinanciada pelas em-presas Bradesco, Cocamar, John Deere, Minerva Foods, Soesp, Syngenta, Suzano, Timac Agro e pela Embrapa e tem como propósito contribuir para o aumento da produtividade de forma sustentável na agropecuária.

A Rede ILPF apoia uma rede com 16 Unidades de Referência Tecnológica (URT) e 12 Uni-dades de Referência Tecnológica e de Pesquisa (URTP), distribuídas entre os biomas bra-sileiros e envolvendo a participação de 22 Unidades de Pesquisa da Embrapa, além de de-senvolver projetos em diversos estados brasileiros.

Saiba mais www.redeilpr.org.br

Sobre o Land Innovation Fund

Um fundo de inovação criado para buscar soluções para um dos maiores desafios da atua-lidade: o desmatamento. Inicialmente financiado pela Cargill e administrado pela Chemo-nics International, a inciativa apoia o design, o desenvolvimento e a entrega de soluções inovadoras para uma agricultura sustentável e climaticamente inteligente, livre de desmata-mento e conversão de vegetação nativa em três dos biomas prioritários da América do Sul: o Cerrado, o Gran Chaco e a Amazônia.

Saiba mais https://www.landinnovation.fund/

Sobre o evento | 11 de abril, às 19h, Cocamar – Campo Grande, MS.

0 Comentário

Rede ILPF lança edital de prêmios de jornalismo e de fotografia

A Associação Rede ILPF lançou os editais da 3ª edição do Prêmio Rede ILPF de Jornalismo e da 2ª edição do Prêmio Rede ILPF de Fotografia. Desta vez os prazos para inscrição se encerrarão mais cedo, com a premiação ocorrendo em março, durante o Encontro Técnico de ILPF, em Caldas Novas (GO).

Os dois prêmios terão como tema “Sistemas ILPF, intensificação sustentável por meio das tecnologias agropecuárias”.

O prêmio de jornalismo contará com cinco categorias, sendo uma para reportagens escritas, outra para reportagem em áudio, outra para reportagem em vídeo, além de uma específica para veículos estrangeiros e uma quinta para profissionais das instituições associadas à Rede ILPF.

Já o prêmio de fotografia terá três categorias. Uma delas é aberta a qualquer pessoa, seja fotógrafa profissional ou amadora. Outra é destinada à fotojornalistas, com fotografias veiculadas na imprensa. A terceira é destinada a profissionais das instituições associadas. Podem concorrer até mesmo fotos tiradas com celular, desde que tenham a resolução mínima definida pelo edital.

As inscrições poderão ser feitas de 1º de fevereiro a 1º de março, no site www.ilpf.com.br. Poderão ser inscritas reportagens veiculadas a partir de 29 de maio de 2022 e que não tenham sido inscritas nas edições anteriores do prêmio. Já as fotografias poderão ser inscritas quaisquer fotos, desde que não tenham sido inscritas na primeira edição.

Confira os editais em https://redeilpf.org.br/editais/.

0 Comentário

Mais de 100 técnicos da extensão rural iniciam capacitação em ILPF no estado de São Paulo.

Com 6,5 milhões de hectares ocupados por pastagens, em mais de 270 mil propriedades, o Estado de São Paulo tem 20% dessa área degradada e 60% em estágio inicial de degradação*. Para mudar esse cenário, mais de 100 técnicos da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI) iniciaram uma capacitação continuada em sistemas de produção Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). A iniciativa busca ampliar em cerca de 1 milhão de hectares a área de integração no Estado até 2030.

Com apoio da Associação Rede ILPF e da Embrapa, o projeto para a restauração da capacidade produtiva dessas áreas, por meio de sistemas integrados, teve início nessa segunda-feira, 19 de setembro.

Para o chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Pecuária Sudeste, André Novo, a instituição não pode ficar longe da extensão rural. “Temos bastante proximidade com os técnicos. Eles são a nossa ponte com o setor agropecuário. Sem a extensão rural, as pesquisas não chegam até os produtores”, destacou André durante a abertura on-line da primeira etapa da capacitação.

A diretora executiva da Rede ILPF, Isabel Ferreira, ressaltou o engajamento dos parceiros nesse projeto e sua potencialidade.

O coordenador substituto da CATI, João Brunelli Júnior, frisou que não é um projeto de curto prazo. De acordo com ele, já existe um cadastro de propriedades interessadas em iniciar o trabalho com ILPF e o compromisso da CATI de acompanhar essas fazendas.

Entre os principais objetivos do projeto, além da ampliação da integração no estado, estão: reduzir os custos globais de produção na agropecuária, contribuir com a mitigação de gases de efeito estufa, melhorar a disponibilidade de alimentação animal na estação seca, recuperar pastagens degradadas e melhorar as condições do solo em áreas de lavoura.

Os mais de 100 técnicos participantes começaram o nivelamento teórico, com duração de três dias, na sequência virão as atualizações presenciais e o início da implantação dos sistemas ILPF nas propriedades com supervisão da Rede ILPF.

*(Fonte: LUPA-SAA)

0 Comentário

Embrapa e Associação Rede ILPF fortalecem as cadeias sustentáveis do babaçu e da soja no Maranhão.

As ações fazem parte do Projeto Desenvolvimento Agrícola Sustentável, em parceria com a Cooperação Brasil-Alemanha por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, pelo Programa Cadeias Sustentáveis.

Entre os dias 15 e 19 de agosto, equipes de profissionais da Embrapa, Rede ILPF, parceiros e apoiadores do projeto capacitaram as mulheres quebradeiras de coco nas comunidades de Itapecuru-Mirim para testar novos coprodutos do babaçu, como o biscoito, gelado e hambúrguer.

“A iniciativa reflete atuação da Embrapa no Maranhão, conectada com as demandas do setor produtivo e articulada com as instituições de pesquisa presentes no estado, para inclusão produtiva e geração de riqueza com baixo impacto ambiental. Essas ações representam o fortalecimento da Rede de Pesquisa e Inovação Maranhense”, destaca o chefe-geral da Embrapa Cocais, Marco Bomfim.

O projeto aborda diversos aspectos da cadeia produtiva como a criação de novos produtos, geração de renda, melhoria das condições de trabalho das quebradeiras de coco.

Segundo Guilhermina Cayres, chefe de transferência de tecnologia, “o objetivo é ampliar e consolidar a rede babaçu como estratégia de conexão de ‘stakeholders’ e geração de produtos sociais sustentáveis, de valor agregado e com potencial para negócios com identidade sociocultural, a partir de uma espécie da sociobiodiversidade, que é o babaçu”.

Westphalen Nunes, representante da Agência GIZ no Brasil, destaca que a agenda para o babaçu vai percorrer a abordagem da cadeia de valor, gargalos, boas práticas, saúde e segurança para as quebradeiras de coco, novas parcerias e novos produtos, comercialização, entre outros temas. “Queremos colaborar para que o babaçu possa explorar suas potencialidades, gerando mais renda e qualidade de vida às quebradeiras, mais opções de produtos de qualidade para o mercado consumidor e mais riqueza com desenvolvimento sustentável para o Maranhão”.

Dia de campo

Em julho a Unidade de Referência Tecnológica (URT) de ILPF, que fica na Fazenda Barbosa em Brejo, no Maranhão, sediou o Dia de Campo: “A importância da ILPF com foco na pecuária no Leste Maranhense.” A atividade para estudantes, produtores rurais e empresas do setor de agronegócio, também fez parte das ações do Projeto Desenvolvimento Agrícola Sustentável.

Flávia Bessa (MTb 4469/DF)
Embrapa Cocais
Press inquiries
[email protected]
Phone number: (98)3878-2241

0 Comentário

Equipe da Embrapa Agrossilvipastoril mostra tecnologias de baixo carbono a jornalistas europeus.

Seis jornalistas de veículos europeus estiveram na Embrapa Agrossilvipastoril na última quarta-feira para conhecerem as pesquisas realizadas com tecnologias de baixa emissão de carbono, sobretudo os sistemas integrados de produção agropecuária. O grupo também visitou duas fazendas na região de Sinop (MT), onde puderam ver a adoção de integração lavoura-pecuária (ILP) e da integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF).

Os profissionais vieram a Brasil a convite da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil). Antes de irem a Sinop, eles participaram do Global Agribusiness Forum, onde assistiram a uma palestra do presidente da Embrapa Celso Moretti, que antecipou a eles algumas das informações que veriam in loco em Mato Grosso.

Na Embrapa Agrossilvipastoril o grupo foi recebido pela chefe-geral, Laurimar Vendrusculo, pelo chefe-ajunto de Transferência de Tecnologia, Flávio Wruck, e por pesquisadores e analistas de Transferência de Tecnologia. Eles conheceram o trabalho feito pela Unidade, viram as pesquisas sobre mensuração das emissões de gases de efeito estufa nos sistemas produtivos, visitaram dois dos maiores experimentos de ILPF do país, viram pesquisas sobre a recuperação de ecossistemas e ouviram sobre o uso de sistemas agroflorestais.

Os repórteres aproveitaram para tirar muitas dúvidas sobre as pesquisas e resultados obtidos, bem como as estratégias de transferência de tecnologia para possibilitar a adoção pelos produtores.

“A visita de profissionais da comunicação, principalmente do continente europeu, foi importante porque permitiu informar conceitos, vivenciar práticas e avaliar resultados que contribuem significativamente para melhorar a sustentabilidade e produtividade de sistemas agrícolas tropicais. A sensibilização destes profissionais permitirá dar escala ao excelente trabalho desenvolvido na Embrapa Agrossilvipastoril, apesar de todos os nossos desafios”, avaliou a chefe-geral da Embrapa Agrossilvipastoril, Laurimar Vendrusculo.

Fazendas com sistemas integrados

No dia seguinte os jornalistas visitaram duas fazendas indicadas pela equipe da Embrapa. Na Fazenda Santana, em Sorriso (MT), o proprietário Juliano Paiva contou a história da família, que se mudou de São Paulo para Mato Grosso na década de 1970. Ele apresentou a fazenda e levou o grupo até a área onde é feita a integração lavoura-pecuária. Parte da fazenda é usada em experimentos conduzidos pela Embrapa e UFMT em projeto sobre consórcios de segunda safra para ILP e para plantio direto. Cristina Delicato, representante do Clube Amigos da Terra de Sorriso, também falou sobre o projeto de soja responsável e a venda de créditos de carbono, ambos com participação da fazenda Santana.

No período da tarde a visita foi à Fazenda Esperança, no município de Santa Carmem (MT). Como o proprietário Invaldo Weiss estava viajando, o chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia, Flávio Wruck, fez a apresentação da fazenda com apoio dos gerentes de pecuária e agricultura. Embora não seja uma URT, a fazenda Esperança é considerada um modelo pela adoção de boas práticas e pelo zelo do produtor.

No local o grupo pode ver a ILPF, a ILP, o reflorestamento e o confinamento para terminação do gado. O cuidado com o bem-estar animal foi um dos pontos que chamaram a atenção na propriedade, com a instalação de um curral anti-stress e com a arborização do entorno do confinamento.

Participaram da visita três jornalistas do Reino Unido: Oliver Morrison, editor de seção do site Food Navigator; Harry Holmes, editor de recursos na revista online The Grocer; e Robert Birkeet, repórter da Crop Science & Agribusiness; a jornalista espanhola Elena Nicolás, que é repórter do jornal online com sede na Bélgica EU Observer; Hélène Parisot, repórter da revista La France Agricole; e Silvia Richter, editora do jornal alemão Rural 21.

Gabriel Faria ((MTB 15.624 MG))
Embrapa Agrossilvipastoril
[email protected]
Telefone: 66 3211-4227

0 Comentário

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar